Restauração de espaços degradados: canteiros e aterros

Os aterros de resíduos urbanos e especialmente a mineração se caracterizam pela geração de grandes superfícies desprovidas de cobertura vegetal, vulneráveis à erosão e fonte de elementos contaminantes para o meio ambiente. Por isso que depois de sua exploração é necessário adotar medidas corretoras para minimizar o impacto consequente da extração de recursos minerais e da acumulação de resíduos. Para isso, costuma-se utilizar técnicas de revegetação típicas de controle da erosão e a restauração de espaços degradados.

comprar_biomantas_São Paulo

Selagem

A selagem de aterros consiste na cobertura dos resíduos mediante materiais impermeáveis que impedem a percolação da água da chuva no núcleo do aterro e que permitam a drenagem dos gases gerados pela decomposição dos resíduos. Desse modo, minimizam-se os riscos de vazamento de lixiviados tóxicos ao meio natural. Depois da impermeabilização, é necessário realizar tarefas de revegetação.

Em muitos casos, as superfícies impermeabilizadas têm uma grande inclinação e isso impede a geração de solos estáveis e de profundidade suficiente para o desenvolvimento vegetal. Para solucionar este problema, materiais como as geocélulas PROWEB ou as geomalhas volumétricas TRINTER tem sido utilizadas para estabilizar estratos de solo fértil e permitir sua revegetação.

SOLUÇÕES DISPONÍVEIS
EM ESTA SITUAÇÃO
Hidrossemeadura_grama em placa_São Paulo

Revegetação/integração ambiental

Para a revegetação e integração ambiental são utilizadas técnicas e materiais típicos de controle da erosão e a restauração ambiental. Hidrossemeaduras, mantas orgânicas, depuração de águas, ou plantações entre outras são atuações tradicionais.

SOLUÇÕES DISPONÍVEIS
EM ESTA SITUAÇÃO