Estabilização de taludes e encostas

Alguns taludes, sejam naturais ou artificiais (encostas), podem apresentar problemas de instabilidade superficial e/ou profunda. As instabilidades podem originar desprendimentos de rochas e/ou diferentes tipos de deslizamentos dos materiais que formam os taludes. Estes movimentos descontrolados e de grande volume, supõem um problema e perigo tanto para as infraestruturas das que formam parte, como para a vida das pessoas.

Tratamento activo

Os tratamentos de estabilização ativos têm o objetivo de evitar que ocorram movimentos indesejados nos materiais que formam os taludes. A Projar trabalha com vários sistemas de estabilização ativa:

  • Revestimento de taludes com malhas metálicas e ancoragem dos elementos instáveis mediante a instalação de parafusos.
  • Construção de muros de contenção de gabiões.
  • Construção de muros de contenção de terra armada (muros verdes).
SOLUÇÕES DISPONÍVEIS
EM ESTA SITUAÇÃO

Tratamento passivo

Os tratamentos passivos atuam como barreiras evitando que, caso os movimentos de rocha ou solo se produzirem, estes cheguem afetar as estruturas ou pessoas.

  • Revestimento com malhas metálicas.
  • Construção de muros de gabiões.
SOLUÇÕES DISPONÍVEIS
EM ESTA SITUAÇÃO

Com vegetação

Na maioria das situações, os sistemas de estabilização podem ser implantados com materiais que permitam sua revegetação. Desse modo, melhora-se a integração ambiental e paisagística das intervenções. Em alguns sistemas como os revestimentos com malhas metálicas e os muros verdes, a revegetação tem uma importante função no controle da erosão e na eficácia em longo prazo das atuações.

SOLUÇÕES DISPONÍVEIS
EM ESTA SITUAÇÃO